Motivos para continuar nas ruas

Três meses depois das grandes manifestações que chamaram a atenção do país e do mundo para as ruas do Brasil, ainda há pautas requeridas desde o princípio, além da Redução das Passagens e do Fim da PEC 37, que tem que ser aprovadas pelos nossos governantes.

A estas causas eu adiciono mais algumas para formar a lista do Porquê Não Devemos Deixar as Ruas:

  • 1 – Fora Renan Calheiros, da Presidência do Senado Federal (e do Congresso Nacional);
  • 2 – Fora Blairo Maggi, da Presidência da Comissão do Meio Ambiente do Senado Federal;
  • 3 – Fora Marco Feliciano, da Presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados;
  • 4 – Fora Demóstenes Torres, do MP (Ministério Público). Ele é Procurador de Justiça, mas não trabalha, só recebe, porque foi afastado depois de ser cassado por corrupção, do seu mandato de Senador (GO);
  • 5 – Investigação e denúncia pelo MP sobre os indícios de desvios dos:
    • Governadores Agnelo Queiroz (DF), Marconi Perillo (GO), Siqueira Campos (TO), Sérgio Cabral (RJ) e Geraldo Alckmin (SP),
    • Prefeitos Eduardo Paes e Fernando Haddad, e de
    • Todos os demais envolvidos;
  • 6 – Fim da PEC 33;
  • 7 – Fim da PEC 99;
  • 8 – Fim da Cura Gay, Projeto de Decreto Legislativo 234/11;
  • 9 – Abertura dos Gastos Públicos;
  • 10 – Fim da proibição às Máscaras nas Manifestações populares. As máscaras são uma das formas de se proteger da perseguição política;
  • 11 – Fim do Anonimato dos policiais de Touca-ninja e sem identificação;
  • 12 – Fim do Anonimato das pessoas que representam o povo: Fim do voto Secreto, para os políticos;
  • 13 – Fim do Foro Simples para os Parlamentares que Renunciam para não serem cassados;
  • 14 – Aprovação do Projeto de Lei 5900/13, que torna Corrupção Crime Hediondo;
  • 15 – Obrigatoriedade de Matrícula dos dependentes de fato (quem vive as custas) dos políticos (Executivo e Legislativo – Ocupantes de cargos eleitos e nomeados), e dos próprios políticos, em escola/universidade pública de suas esferas*. Respeitando o modelo de ingresso das instituições (i.e. se for por vestibular tem que ser aprovado no vestibular);
  • 16 – Obrigatoriedade de atendimento médico aos políticos em hospital público da suas esferas*.

Há muitas outras causas pelas quais protestar. Causas nacionais, e locais, e até globais. Mas, agora eu só lembrei destas.

Obs.: *- Por ‘esfera‘ entenda-se:
União (Presidente, vice, Ministros de Estado, Senadores e Deputados Federais): Hospitais, universidades e colégios federais (nos seus Estados).
Estados (Governador, vice, Secretários e Deputados Estaduais): Hospitais Estaduais, nas suas cidades;
Municípios (Prefeito, vice, Secretários Municipais e Vereadores): Hospitais Municipais;
E na educação, para políticos dos Estados e Municípios: Universidades estaduais, volégios estaduais (pro ensino médio, e segundo segmento do ensino fundamental – 6ª a 9ª séries– nas suas cidades), colégios municipais (primeiro segmento do ensino fundamental – 1ª a 5ª séries).